Ao trocar alimentos processados por produtos naturais e orgânicos, você estará automaticamente favorecendo o melhor equilíbrio do organismo podendo ainda evitar doenças

Conhecido no exterior como “Raw Food” (Comida Crua), este movimento de alimentação viva surgiu nos Estados Unidos no começo dos anos 1990 e parece que conquistou de vez o Brasil nesta segunda década do século XXI. Por definição, a alimentação viva é quando uma pessoa consome apenas alimentos naturais, orgânicos e preferencialmente crus, porém não pode ser classificada como algum tipo de dieta. Por aqui, este movimento também ganhou o nome de “Crudivorismo”.

Segundo especialistas, entre os principais benefícios da alimentação viva, a diminuição nos riscos de doenças crônicas como diabetes, obesidade e problemas cardiovasculares, merece entrar em discussão na sociedade. “O movimento raw food relembra que somos feitos de nutrientes e que nossa saúde e qualidade de vida depende do que comemos”- afirma a nutricionista especializada em alimentação viva, Vivian Oliveira. A profissional também complementa reforçando que mais de 80% dos alimentos crus possuem alto teor nutritivo, o que favorece diretamente o bem-estar e saúde de homens e mulheres de todas as idades.

Quando submetemos um alimento a uma temperatura maior do que 43º C graus, perdemos grande parte dos nutrientes. Segundo o Instituto Max Planck (organização alemã de pesquisas científicas), ao cozinhar a comida você perde 50% das proteínas presentes, 70 a 90% das vitaminas e minerais e até 100% dos fitonutrientes, além de enzimas fundamentais para a boa digestão”, explica Vivian.

O que comer na alimentação viva?

A primeira informação que precisa saber na hora de fazer as compras do mês voltadas à alimentação viva é, que quanto mais fresco e orgânico for o alimento, melhor. Também é recomendável evitar produtos refrigerados e que são vendidos fora de época, pois estes passam dias no supermercado e ainda viajam longas distâncias até chegar ao consumidor, o que impacta diretamente na qualidade e nas propriedades dos mesmos.

Sabendo disso, o popular suco verde é uma ótima alternativa para quem pretende começar a alimentação viva, já que se trata de um suco rico em minerais, vitaminas e fibras, o que auxilia no funcionamento do intestino e também na desintoxicação do organismo em geral. Prefira também verduras, frutas, legumes, cereais integrais, algas, castanhas, sementes germinadas, óleos de linhaça e coco, brotos como lentilha e girassol, e feijões. Uma alimentação orientada por estes alimentos favorece o equilíbrio do corpo e pode evitar diversos problemas de saúde.