Diagnosticar alguém com depressão é algo extremamente difícil. O objetivo dessa matéria é auxiliar você na prevenção da depressão ou ajudar alguém da sua família que possa ter algum dos sintomas.

Só para se ter uma ideia, no ano passado, dados alarmantes foram divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) colocando o Brasil na 2° posição do ranking de depressão na América Latina. 

O que é depressão e quais os seus sintomas?

A depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente, que produz uma modificação no humor caracterizada pela tristeza profunda. Ela pode desencadear sentimentos de dor, amargura, desesperança, desencanto, baixa autoestima e culpa. Ela também causa distúrbios no sono e no apetite. Isso leva a pessoa a ficar deprimido o tempo todo, por dias seguidos, acabando com o interesse pelas atividades, físicas e mentais que antes davam satisfação e prazer para a pessoa. 

Campanha Setembro Amarelo

Em 2015, através de uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), foi criada a campanha Setembro Amarelo.

Por que o mês de setembro?

O mês de setembro foi escolhido porque dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Então o mês inteiro “abraça” a data em uma simbologia que mostra a importância da discussão e o alerta para o tratamento da depressão. 

Por que a cor amarela?

A cor da campanha foi escolhida por causa da história de um jovem americano que no ano de 1994, aos 17 anos tirou sua própria vida ao volante de seu carro. O Mustang ano 68 foi totalmente restaurado e pintado pelo próprio jovem. Na época os familiares tiveram a iniciativa de distribuir fitas amarelas para conscientizar familiares sobre o problema. Essa campanha ficou conhecida como “yellow ribbon”.

Como combater a depressão?

Agora que você sabe um pouco mais sobre a doença, suas causas e sintomas, vamos explorar algumas alternativas para combater a depressão. A primeira delas é encaminhar a pessoa para um psiquiatra, porém isso é recomendado para casos mais avançados da doença. Mas antes da terapia, da ajuda psicológica e do uso de medicamentos, existem algumas estratégias simples e eficientes, principalmente para os casos mais leves. Vamos a elas:

1. Atividades físicas

Os exercícios físicos sempre serão uma ótima alternativa para qualquer pessoa que queira ter uma vida saudável. Claro que para aliviar os sintomas da depressão, essa lógica não seria diferente. As atividades físicas liberam endorfinas e aumentam os níveis de serotonina e dopamina, potencializando o efeito antidepressivo. 

2. Agenda ativa

Um dos principais sintomas da depressão é a falta de iniciativa e de vontade para realizar tarefas cotidianas ou até mesmo tarefas que antes traziam satisfação. É muito difícil seguir a mesma rotina vivida antes da doença, mas manter a agenda cheia de atividades cria uma sensação de utilidade e capacidade. Obviamente que os compromissos estabelecidos devem estar alinhados com a capacidade da pessoa, senão o efeito pode ser contrário.

3. Alimentação saudável

Comer muito ou comer nada, são sintomas clássicos de quem sofre com a depressão. Por isso manter uma alimentação saudável é um passo importante para o tratamento. Jejuns prolongados ou exageros alimentares modificam o corpo quimicamente. Muitas pessoas abusam de carboidratos, como doces, em busca de algum conforto, isso causa uma brusca variação nos níveis de glicemia, insulina e serotonina. O indicado é comer porções pequenas, a cada três ou quatro horas, priorizando alimentos com triptofano, um aminoácido que ajuda na produção de serotonina. Os alimentos fontes de triptofano são: peixes, peru, ovo, nozes, castanhas, leguminosas (feijão azuki, lentilha, soja), semente de abóbora, linhaça, aveia, arroz integral, chocolate amargo e queijo tofu.

4. Fugindo do álcool

Embora os efeitos mais lembrados do álcool sejam a sensação de relaxamento e de euforia, eles duram pouco. Após esse período o álcool traz inimigos perigosos, como perda do julgamento da realidade, alteração na percepção, visão alterada e alteração da capacidade de raciocínio. 

5. Boas noites de sono

Assim como na alimentação, pessoas com depressão, geralmente, dormem muito ou dormem pouco. Isso ocorre devido a alterações nos níveis de serotonina e noradrenalina, hormônios que regulam o sono. O o sono é essencial para o cérebro regular novamente esses hormônios e amenizar os efeitos da depressão. Para contornar o problema exercícios de respiração, são recomendados, eles relaxam e facilitam a pegar no sono. Faça do seu quarto um ambiente propicio ao sono, tire aparelhos eletrônicos, tenha uma cama confortável e instale cortinas tipo blackout.  Agora se dormir demais for o problema, a alguém próximo da pessoa deve despertar ela sempre que estiver passando da conta.

6. Espiritualidade

Desenvolver a autorreflexão e praticar a meditação são ótimas estratégias para relaxar, diminuir os níveis de ansiedade e melhorar o sono. Essa prática ajuda no rompimento dos pensamentos negativos, aumentam a força e tornam o praticante consciente da sua respiração. 

7. Animal de estimação

Com certeza você já ouviu histórias de melhoras clínicas com a companhia de Pets. Terapias com animais são largamente utilizadas na reabilitação de pacientes. As interações com eles são capazes de aumentar os níveis de serotonina no corpo, combatendo a depressão. Os pets possuem muita energia, criam uma rotina de cuidados, tiram os pacientes de casa, pois precisam passear todos os dias. 

8. Caso nada disso funcione!

Caso essas abordagens não deem certo, procure um especialista. Médicos Psicoterapeutas são treinados para ajudar a desenvolver novos padrões de pensamento e comportamento que aliviam e ajudam a combater a depressão, evitando reincidências. Estes profissionais farão um plano de tratamento focado em suas necessidades.

Como vimos, há muitas estratégias que ajudam no processo de como combater a depressão. Esta doença não é sinal de loucura, nem de frescura. Se você ou alguém anda triste e acha que a vida perdeu a graça, procure ajuda de profissionais. O diagnóstico precoce é o melhor caminho para colocar a vida nos eixos e ter uma vida mais feliz! 

Espero que essa matéria ajude vocês a ajudarem outras pessoas.

Fique ligado e acompanhe nosso blog.

Até a próxima!