O tomate seco é uma delicia, porém muito calórico. Mas o que muita gente não sabe é que é possível preparar o tomate seco em casa e de uma forma light.

Você sabia que o tomate seco light é ótimo para quem está em dieta? Isso porque, diferente do tomate seco em conserva, eles são feitos sem açúcar e com produtos naturais sem químicas.

É certo que o tomate é um ótimo aliado na dieta e para os homens também, pois previne o câncer de próstata devido ao seu pigmento, o licopeno, que age como antioxidante, auxiliando na prevenção de diversos tipos de câncer.

Porém o tomate seco é feito com açúcar, o que não ajuda na dieta, pois é muito calórico. Pensando nisso, mostramos para vocês uma receita simples e prática para se fazer o tomate seco em casa, sem açúcar. Veja:

Ingredientes

15 tomates bem maduros, grandes e lavados
1/2 (chá) de adoçante dietético

1 colher (chá) rasa de sal
4 dentes de alho amassados
Orégano a gosto

Modo de preparo

Parta os tomates no sentido do comprimento e retire todas as sementes. Coloque-os em uma assadeira grande com a pele virada para baixo. Enquanto isso, misture o adoçante e o sal em uma xícara e vá polvilhando em cima de cada tomate. Leve ao forno bem baixo e vá vire os tomates até soltarem bastante água e sempre mantendo o cuidado para não deixar a pela queimar. Coloque em cada tomate um pouco de alho e orégano a gosto e continue assando eles ficarem secos (e não duros, preste atençõ!). Deixe esfriar e coloque em um recipiente de plástico bem tampado na geladeira . Por não levarem azeite, a duração é de 12 a 15 dias na geladeira.

 

Referência: 

http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/tomates-secos-light-sao-para-quem-se-preocupa-com-a-balanca-20100729.html

Camargo, Gisele A., Niurka Haj-Isa, and MR de Queiroz. “Avaliação de qualidade de tomate seco em conserva. “Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 11.5 (2007): 521-5

Camargo, G. A., R. H. Moretti, and R. Licciardo. “O uso de açúcar líquido e sal para concentração osmótica do tomate seco.” CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS. Vol. 18. 2002.