A Fórmula da Beleza

A Fórmula da Beleza

Baseado nos princípios da Beleza na Natureza com a sequencia de Fibonacci, proporção áurea e retangulo de ouro, o cirurgião plástico americano Stephen Marquardt desenvolveu uma máscara da beleza ideal baseada nessa proporção preconizando que os rostos que se encaixassem nas medidas proporcionais da máscara seriam considerados simétricos, portanto, bonitos. A Fórmula da beleza Na realidade, os rostos que se encaixam nesses padrões são sim, considerados belos pois esse conceito de proporção áurea e padrão de “agrado aos olhos” se deve à proporção e simetria entre as partes. Esses princípios, encontrados amplamente na natureza, vêm sendo aplicados nas Artes Plásticas desde a antiguidade, tendo sido valorizados na época do classicismo e renascimento, e nos dias de atuais é muito utilizado na área do design e estética. Mas, padronizar o que é considerado belo ou não, vai além da proporção e simetria matemática que é claro, são importantíssimas. Há algo a mais que torna uma pessoa extremamente cativante. É uma soma da harmonia física, da textura e uniformidade da pele, do brilho e força do olhar, da acuidade intelectual, da doutrina do gesto, da expressão do caráter. Para se definir e aprimorar a beleza, é preciso um olhar artístico e holístico do esteta e esse olhar deve ser envolvido com compaixão e interesse de ambas as partes. É preciso empatia e confiança mútua em todos os procedimentos para embelezamento pessoal. O Cirurgião Plástico deve, além de ser profundo conhecedor dos procedimentos possíveis para um aprimoramento da beleza ou rejuvenescimento, também ser observador do paciente por completo. Portanto precisa ter conhecimentos psicológicos e artísticos para resultados equilibrados, harmônicos e naturais pois como dizia Rodin, um especialista da constituição corporal e da beleza: “A verdadeira beleza está na verdade” e a verdade é a naturalidade!

Comentários