Poucas pessoas já ouviram falar ou já provaram uma xícara de café verde… Porém é um alimento de alto valor nutricional, que pode até mesmo queimar gorduras e combater o diabetes. Mas antes de conhecermos os benefícios diretos deste café para a saúde, é importante ter claro que a principal diferença dele para o preto, tão consumido no Brasil, está no processo de produção. Ambos possuem o mesmo grão, mas o verde não é torrado em alta temperatura, e mantém assim sua cor natural e sabor mais amargo.

O café verde possui duas vezes mais cafeína do que o café comum, classificando-o como um alimento termogênico e com propriedades emagrecedoras. O segredo está na grande concentração de cafeína que promove a oxidação e eliminação da gordura corporal. Também atua com precisão para inibir as substâncias que provocam o sono: adenosinas.

Importante ressaltar que o café verde também tem elevados níveis de antioxidantes que limpam as células do organismo, contribuindo para seu melhor funcionamento. Ainda apresenta 15% de proteína, aminoácidos como ácido aspártico e glutâmico, e níveis de leucina. Outro diferencial do grão verde é a quantidade de ácido clorogênico duas vezes maior do que o grão torrado, o que favorece a absorção de glicose e inibe a enzima que libera açúcares do fígado no sangue, combatendo diretamente males como diabetes.

Como consumir o café verde?

Você pode encontrar o café verde em lojas especializadas através de cápsulas, em pó, ou solúvel. O consumo de 200mg por dia, pela manhã e a tarde, é uma boa maneira para inseri-lo em sua rotina alimentar e garantir todos os seus benefícios.

Todavia, é sempre uma boa ideia consultar um médico, pois cada organismo reage de uma determinada maneira. Além disso, é contraindicado para quem sofre de hipertensão, hipertireoidismo, úlceras gastroduodenais, gastrite crônica e problemas reumáticos e hepáticos.